TUDO FLUI, A VIDA É MOVIMENTO

- por Junior Bonfá//
Nada é resoluto no existir senão o fluxo de opostos. O ser é - mesmo que visto de um ponto isolado, na mais estrita delimitação temporal - uma eterna relação de contrários. Heráclito (535-475 a.C.) me atenta o rombo com o pensamento de Parmênides de que as coisas são, que o ser é único, imutável, imóvel; que as coisas não podem ser e não ser ao mesmo tempo. Me descontenta assim pensar a vida, pois ela é, por excelência, multiplicidade infinita. Heráclito bem nos traz que o ser é fluxo, é múltiplo, não somente pela via do exemplo que há uma multiplicidade das coisas, mas acima disto, por nossa própria existência ser constituída de oposições internas. Demócrito (460-370 a.C.) avança nesta discussão ao propor a vida enquanto composta por átomos, os quais são dotados naturalmente de movimento. A harmonia, por esta ordem, nasce da síntese dos contrários.
A vida flui, é movimento, é mudança, é devir. Tudo muda e tornará a mudar num ciclo incessante. "Nunca nos banhamos duas vezes no mesmo rio", dirá Heráclito, pois não seremos os mesmos, bem como as águas. O depois sempre difere, rugoso ou liso . O desabrochar desviante à ordem de outrora se faz corriqueiro. Acaso, quisera disto fazer desalento? Dessa guerrilha se faz a harmonia. Neste exato momento estamos vivendo e morrendo.
Tecnologia do Blogger.